Buddha Quotes

domingo, 15 de dezembro de 2013

Tarte de Maçã

Este ano há montes de maçãs cá por casa e pouca vontade de fazer compota, por isso o uso dado a umas maçãs que já estavam a ficar com a casa encarquilhada foi... Tarte de Maçã! :-)



Inspirei-me numa tarte de pêra que a minha mãe fez recentemente (a partir desta receita online) e que tem a grande vantagem de ficar super-saborosa com uso de muita fruta e pouca quantidade de outros ingredientes (comparativamente a muitas outras receitas de tarte que se encontram por aí...).

Além de que não é preciso estar a fazer massa... nem recheio... nem nada de elaborado!!!
É só misturar tudo (eu misturei fora de ordem e ficou fenomenal à mesma!!!), colocar na tarteira untada e polvilhada, levar ao forno et voilá!


Como sempre, fiz umas alterações à receita: usei 6 maçãs grandes, 3 ovos grandes, margarina em vez de manteiga, 1/2 (meia) colher de chá de fermento (nos ingredientes não consta, mas, como está na preparação, acrescentei) e juntei um pouco mais de farinha e de leite (a olho) para compensar o aumento da quantidade dos outros ingredientes.

Mas nada disso prejudicou a tarte, como comprovou o mini-chef mais exigente cá de casa - ele não costuma gostar de tartes e esta foi completa e absolutamente aprovada!!! ;-)


Experimentem e depois digam como correu! :-)

E boa semana!

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

À minha moda







Com tempo de frio esta receita aquece, pelo menos, o estômago


  
4 Colheres (sopa) de manteiga
1kg de carne cortada em tiras.
2 Cebolas picadas
1/2 colher (sopa) de sal
1 pitada de pimenta do reino 
1/2 Chávena de (chá) de conhaque
200g de champignons de conserva fatiados
3 colheres (sopa) de puré de tomate
1colher (sopa) de mostarda
2 colheres (sopa) de catchup
1 lata de Natas.



Derreta três colheres de sopa de manteiga (ou margarina) numa
frigideira grande e vá fritando as tiras de carne, aos poucos, em lume alto.

Retire a carne da frigideira e coloque a manteiga restante.

Doure as cebolas, e junte a carne, tempere com sal e a pimenta e despeje o conhaque.

Espere aquecer e incline levemente a frigideira para que o conhaque incendeie.

Quando a chama terminar junte os cogumelos, tape a frigideira e deixe
cozinhar por alguns minutos.

Acrescente o puré de tomate, a mostarda, o catchup e misture bem.

Deixe em lume brando, tape a panela e deixe cozinhar por 5 minutos.

Incorpore delicadamente as natas e retire do fogo antes de ferver.

Acompanhe com arroz branco.


quinta-feira, 31 de outubro de 2013

"Bacalhau sem Moda"

Quem me conhece sabe que eu não sou capaz de seguir uma receita à risca, mesmo que seja a primeira vez que a faço.
Por isso não estranharão, com toda a certeza, que eu tenha pegado nesta receita fantástica do Manuel e tenha tornado o "Bacalhau à Moda do Manuel" em "Bacalhau sem Moda"! ;-)


Ingredientes:

  • Postas de Bacalhau
  • Cebolas
  • Alhos
  • Azeite bom
  • Batatas
  • Ovos (opcional)
Preparação:
Cozer as postas de bacalhau demolhado em água a ferver sem sal. Retirar da água, reservando-a. Deixar as postas esfriar e desfiá-las, retirando espinhas e pele (que eu adoro!).
Descascar, lavar e cortar em fatias finas as batatas, dispondo-as numa assadeira, juntamente com as cebolas cortadas em luas e os alhos aos pedaços.
Colocar o bacalhau desfiado por cima e regar abundantemente com azeite. Juntar a água da cozedura do bacalhau até os líquidos atingirem o limite da assadeira.
Levar a forno quente até dourar (as batatas, assim cortadas e submersas, cozem rápido), regando com água da cozedura sempre que necessário (coloquem a assadeira em cima do tabuleiro do forno - assim, se transbordar, não há problema!!!).
Servir quentinho.


Se, como eu, tiverem filhotes que não gostam muito de bacalhau, coloquem ovo cozido fatiado por cima (não ponho antes de ir para o forno para não ficar ressequido...).


Sirvam acompanhado de pão bom, porque é essencial aproveitar bem o molho! ;-)

Bom apetite!!! :-)

Imagem retirada da net




quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Migas de Bacalhau

Para quem preferir, uma sugestão de umas migas mais leves, sem a carne de porco.




*2 Postas de bacalhau demolhado  (de preferência fino)
*Pão duro
*Azeite
*3-Dentes de alho
*1-Folha de louro
*-1 Raminho de Poejos

Cozer o bacalhau, depois de cozido tira a pele e as espinhas e parta em lascas.
Deve guardar a água de cozer.

Descascar os alhos que deixa inteiros.
Cortar o pão em fatias finas.
Aproveite as folhas verdes, dos poejos, e lave-as bem.

Por um tacho ao lume com azeite e frite os alhos a que vai juntar as folhas de poejo.
De seguida juntar o bacalhau e deixar refogar uns minutos.
Acrescentar o pão e regar com a água fervente onde se cozeu o bacalhau.
Tape o tacho e deixe descansar uns minutos.


Leve, novamente, o tacho ao lume e mexer bem até as migas estarem secas e despegarem das paredes do tacho.

Por fim, numa frigideira deite uma colher de azeite e vá fritando as migas como se fosse uma omelete, sacudindo o recipiente e virando-as até estarem douradas.

Decore, se gostar, com azeitonas.

domingo, 6 de outubro de 2013

MIGAS À ALENTEJANA

Este tempo não vai durar muito, não tarda o frio espreita e uma comidinha destas vem mesmo a calhar.

Parece ser trabalhosa, mas não é!

Acompanhar por um bom tinto Alentejano.








400 gr. De lombo de porco
200 gr. Entrecosto
200 gr. Toucinho entremeado
15 Rodelas de chouriço
2 Dl. Vinho branco
Q.b. azeite
Q.b. sal
1 Folha de louro
Q.b. massa pimentão
500 gr pão caseiro

Cortar as carnes aos cubos e a linguiça às rodelas. 

Fazer uma marinada com a massa de pimentão, alho, sal, louro e vinho branco.  

Deixe as carnes em repouso nesta marinada durante 24 horas.
Colocar banha numa frigideira, quando estiver quente fritar a carnes e o chouriço.

Cortar o pão às fatias e embeber num pouco de água e amassar levemente com as mãos.
Entretanto, coloca-se um tacho ao lume com um pouco de azeite e a gordura (coada) onde fritou as carnes e junta os dois dentes de alho muito bem picadinhos.

Quando estiverem louros, juntar o pão e com ajuda de uma colher de pau, vai batendo e enrolando até ficarem bem passadas, com uma textura crocante e na forma de uma omoleta.

Quando descolarem das paredes do tacho estão prontas.

Vão à mesa no centro de um prato com as carnes em volta.


Pode decorar com azeitona e gomos de laranja.



terça-feira, 24 de setembro de 2013

Bacalhau à minha moda....








Esta receita é muito fácil e resulta muito bem.

Acompanhe com um bom vinho branco.



Necessário:

-Postas de Bacalhau
-Cebolas
-Azeite bom
-Pimenta em grão
-Um limão



Num tabuleiro, de ir ao forno, deite uma boa porção de azeite e cebolas às rodelas grossas.

Em cima, disponha as postas de bacalhau e cubra com mais rodelas de cebola.

Tempere com pimenta em grão e sal (se necessário), cubra com bastante azeite.

Leve a forno esperto e deixe cozinhar até a cebola estar cozida.

Regue com um pouco de sumo do limão.

Sirva quente, acompanhado de batatas cozidas.








quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Strogonoff de chocolate e nozes















De uns meus amigos, brasileiros, aprendi esta maravilha.
Leva chocolate, por isso gosto com toda a certeza
Um dia vou tentar fazer, agora dou a sugestão.


6 colheres de chocolate em pó
1 colher de sopa de margarina
200 gramas de chocolate meio amargo em cubinhos
300 gramas de nozes em cubinhos
2 latas de leite condensado
 
2 embalagens de natas                                                                                                                 
6 Ovos

Separar as claras das gemas.


Levar ao lume, todos os ingredientes, leite, leite condensado, as gemas dos ovos, a margarina e o chocolate em pó.

Mexer bem sem parar, para não pegar no fundo da panela, até engrossar.

Deixar arrefecer. Bater as claras em neve e reservar. Cortar o chocolate meio amargo e as nozes em cubinhos, reservar.

Juntar ao creme que foi ao lume o chocolate, as nozes em cubinhos e as natas. Por último colocar a clara em neve envolvendo lentamente.

Colocar num recipiente servir.





Depois esquecer a linha.



sábado, 17 de agosto de 2013

Menu da Semana

Os menus semanais são coisa que já vou fazendo (e vou fazer bem mais, porque dão imenso jeito), por isso, quando vi este no FB, decidi que tinha mesmo que partilhar! :-)

Imagem retirada do FB

Preparem tudo no fim-de-semana e comecem a aplicá-lo logo na 2ª feira! :-D

E o melhor é que é tão equilibrado e saudável, que dá para fazer todas as semanas, o mês todo, o ano todo e até a vida toda! ;-)

Bom fim-de semana gente boa e, a quem se aplique, boas férias! :-D

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Pudinzinhos de queijo






Aqui vai uma receita de Cabo-Verde, muito apreciada na Ilha da Boavista.

Espero que gostem, que a façam e que me convidem para provar.


2 Queijos de cabra (+-/ 400 gr.)
4 Ovos inteiros
4 Gemas
350 Gr. Açúcar
1 Chávena de leite (+/- 2 dl.)
1 Colher de sopa de manteiga
Raspa de uma lima ou limão
1 Colher de chá de canela
½ Colher de chá de baunilha


Num recipiente junta-se o queijo de cabra previamente ralado, o açúcar, a raspa de lima/limão, a canela e a baunilha.

Mistura-se tudo com uma colher de pau e vão-se juntando os ovos inteiros e as gemas a dois e dois. Depois dos ovos incorporados adiciona-se o leite e a manteiga derretida, Depois juntasse o açúcar e mistura-se até estar totalmente derretido.

Não usar batedeira eléctrica mas sim a colher de pau.

Untar e polvilhar com farinha formas pequenas, lisas e encher com a massa.

Levar a forno médio (180º) e deixar cozer por 25 a 30 minutos.

Quando saírem do forno devem ser colocadas com o fundo para cima, assim os pudins quando arrefeceram estão direitos.




quinta-feira, 11 de julho de 2013

Tosta de Tomate, Rúcula e Queijo Brie





O tempo está quente, ou pelo menos estava, logo algo fresco vai, sempre bem!
Tinha esta receita, que copiei, há muito dum livro da vaqueiro. Venho compartilhar.


Ingredientes
Para 4 pessoas


4 boas fatias de UpãoU caseiro

1 dente de UalhoU
4 colheres de sopa de UazeiteU

50 g de folhas de UrúculaU

2 UtomatesU

8 fatias finas de UqueijoU Brie

sal



UpimentaU

orégãos



Preparação

Comece por tostar as fatias de pão de ambos os lados no grelhador do forno ou na torradeira. Esfregue-as com o dente de alho descascado e regue-as com um fio de azeite.

Lave e enxugue muito bem as folhas de rúcula, assim como os tomates e corte-os em 8 rodelas grossas. Frite as rodelas de tomate de ambos os lados em 2 colheres de sopa de azeite.

Distribua as folhas de rúcula sobre as fatias de pão, por cima coloque em cada fatia 2 rodelas de tomate frito e 2 fatias de queijo. Tempere com sal e pimenta moída na altura e leve a gratinar no grelhador do forno.

Polvilhe as tostas com orégãos e regue com o restante azeite. Sirva bem quentes.

Sugestão

Se preferir pode substituir a rúcula por folhas de manjericão

domingo, 2 de junho de 2013

ENSOPADO DE BORREGO





Hoje deixo um prato mais bem elaborado que, com a crise, serve para
recordar os tempos em que se podia fazer.
Tenhamos esperança porque outros tempos hão de vir!




Ingredientes

1 borreguinho com 7 ou 8 kg a que se tiram as pernas e as costeletas para outros pratos

3 dentes de alho

1 folha de louro

1 dl de azeite

2 colheres de banha de porco

1 copo de vinho branco

Sal e pimentas em grão

Pão duro


Modo de preparação:

Corta-se o borrego em bocados.

Frita-se o alho picadinho com o louro nas gorduras.

Junta-se a carne, tempera-se de sal e pimenta e frita-se até dourar a carne.

Acrescenta-se o vinho branco, tapa-se e deixa-se cozinhar em lume brando. Quando 
começar a ficar seco vão-se juntando pinguinhas de água quente, tendo o cuidado de ir mexendo para não pegar.

À hora de ir para a mesa acrescenta-se a água a ferver necessária para molhar as sopas (o pão).

Serve-se numa travessa funda sobre uma camadinha de fatias de pão duro muito finas.

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Arroz de Pato á minha moda........









Depois dos magníficos conselhos da Sónia, vamos provar um arrozinho de pato. Valeu?



Necessário:

Pato
Arroz
Chouriço
Bacon
Tomilho, piripiri e salsa.
Alhos
Margarina


Num tacho, com água e sal, por o pato a cozer (inteiro ou partido) com tomilho, piripiri e salsa.
Quando começar a borbulhar juntar o chouriço e o bacon.

Convêm ir retirando a gordura que fica á superfície para, depois, o arroz não ficar muito gordo.

Quando o bicho estiver cozido deve ser desfiado, retirando a pele e os ossos e reserve com o chouriço e o bacon e deixa arrefecer.

Entretanto faça um refogado, junte o caldo onde cozeu o pato e quando ferver junte o arroz.
Convém rectificar os temperos.

Numa frigideira esmague 4 ou 5 dentes de alho e 2 colheres de sopa de margarina. Mal comece a borbulhar junte o pato desfiado e envolva-o bem na margarina e nos alhos. Este pequeno truque confere-lhe um sabor muito especial.

Finalmente, num tabuleiro de ir ao forno (e á mesa), deite metade do arroz, depois espalhe os pato e cubra com o restante arroz. Se gostar, ponha umas rodelas de chouriço e bacon por cima (mas de verdade não necessita).

Leve ao forno para dourar levemente, convém não deixar secar.

Decore com um ramo de salsa.


Bom apetite!!

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Semear e Germinar

Se, como eu, recolhem as vossas próprias sementes (de produtos biológicos que recebo/adquiro e das que a minha mini-horta na varanda providencia) ou as receberam/trocaram num Encontro de Sementes como este, podem semeá-las para terem mais produtos ou utilizá-las na alimentação como germinados.

Aqui ficam algumas dicas:

SEMEAR
1. Preparem um recipiente pequeno (copo de iogurte, etc.), furando o seu fundo para garantir uma boa drenagem da água da rega;

 
2. Segurem o copo na palma da sua mão e, com atenção para que não saia pelo fundo, coloquem uma mistura de terra e composto [se tiverem do que resulta da compostagem dos vossos próprios resíduos orgânicos, melhor ainda! :-) ] quase até ao topo do copo - inicialmente pressionem um pouco a terra, pois a compactação diminui a perda de solo pelo buraco de drenagem, mas depois deixem-na bem solta, para que as sementes tenham por onde lançar as suas raízes e germinar;




3. Com um dedo, façam buracos na terra e coloquem lá as sementes - se forem grandinhas, coloquem apenas uma em cada buraco, não ultrapassando 5 por copo no total e, se forem pequeninas, coloquem 3-5 em cada buraco, num total de 5 buracos por copo, de modo a que elas tenham espaço para crescer;

 


4. Cubram as sementes levemente com um pouco da mistura de terra e composto, reguem com um pouco de água, sem levantar muito solo e sem o compactar, e coloquem o copo num local iluminado, mas não demasiado quente ou frio;

5. Reguem gentilmente todos os dias de modo a manter o solo mole para que a semente possa germinar e despontar. Quando começarem a surgir plantas, evitem derrubá-las com a água da rega;



 6. Depois podem transplantá-las para um vaso ou directamente para um jardim. 


Para TRANSPLANTAR para um vaso:
- encham o vaso com uma mistura de terra e composto- abram um buraco do tamanho do copo de iogurte; 
- com a terra seca, virem o copo de iogurte ao contrário e, gentilmente, empurrem a terra pelo orifício no fundo do copo com o dedo, amparando o torrão de terra com cuidado para não danificar a(s) planta(s);
- coloquem o torrão no buraco, calcando ligeiramente a terra em redor; 
reguem diariamente e vejam-na(s) crescer!




GERMINAR

Podem optar por consumir as sementes germinando-as, isto é, fazendo-as despontar e ingerindo os rebentos. Isto torna-as de muito mais fácil digestão e óptimas para colocar em saladas.

Aprendam aqui mais sobre isso e não se esqueçam: apesar de existirem frascos próprios para o efeito, podem (re)utilizar um frasco de vidro de boca larga que tenham em casa e colocar-lhe uma simples rede por cima! ;-)

Imagem retirada daqui

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Os 3 Rs

Olá gente boa! :-)

Ando desaparecida porque ando em rebuliço caseiro - aproveitei as ditas "limpezas de Primavera" para aplicar os 3 Rs: Reduzir, Reutilizar e Reciclar.

Imagem retirada daqui

Para Reduzir:
- ando a rever tudo quanto é armário, gaveta e recanto, arranjando destino para o que não está a uso e encaixotando tudo o que não uso (tiro foto, anoto no exterior do respectivo caixote e numa lista - para mais tarde saber onde encontrar o quê!!!);
- as quantidades de produtos comprados estão a ser reduzidas (e, com isso, as despesas mensais também), optando por versões caseiras (e vivam os detergentes caseiros!!!);
- guardo todas as embalagens que posso (seja para reutilizar, seja para reciclar - no sentido de "utilizar para fazer algo diferente" e não "colocar no ecoponto") e estou a aumentar a quantidade de resíduos orgânicos que coloco na caixa de compostagem, o que reduz mais ainda o lixo que se produz cá em casa (e, vindo as temperaturas mais amenas, o vermicompostor vai ajudar!!!).

Para Reutilizar:
- todos os frascos, caixas e tabuleiros que vou acumulando (e são muitos!!!) são utilizados para arrumar:
  • produtos alimentares que, como são comprados em quantidade maior (quando há descontos ou por ser mais barato o preço por quilo nas embalagens grandes), têm que ser bem acondicionados para melhor arrumação e conservação (e, daqui a uns tempos, para as conservas e compotas a oferecer no Natal!!!);
  • tudo o que andar solto em gavetas, para que as coisas sejam fáceis de encontrar e não se percam;
  • artigos semelhantes ou que seja mais prático arrumar junto (porque funcionam em conjunto como, por exemplo, as pilhas recarregáveis e o carregador), de modo a ter tudo mais organizado e fácil de usar;
- os restos de roupa que já não tem arranjo (as minhas costurices andam melhor!) são utilizados como panos do pó, fundo para remendos (as calças dos miúdos consomem bastante disso...) e o que mais for necessário.

Para Reciclar:
- olho para todos os objectos que já não utilizo com a sua função inicial de um modo criativo e arranjo-lhes novos usos com o mínimo de trabalho e bricolagem possível (quando não consigo, lá vão eles para o caixote!);
- uso materiais "de desperdício" (embalagens de cereais, etc.) para projectos e prendas ou simplesmente para organizar o meu dia ou fazer uma lista de tudo o que preciso para uma dada actividade.

E vou continuar em rebuliço durante uns tempos! Até breve!!! :-)

quinta-feira, 14 de março de 2013

Caril de frango à minha moda.






Este prato é um pouco mais trabalhoso, mas a cozinha é um prazer!

Podem ter a certeza que este é o melhor caril que se pode comer.
Com o seu delicado aroma alimado fica simplesmente delicioso...

Se receber algum convite para jantar, se calhar, aceito!



-4 Peitos de frango, sem pele e sem ossos, cortados em cubos

- 500 ml de leite de coco (pode ser de lata)

- Umas sementes de coentros (moídas)

- 2 Colheres (sopa) de manteiga de amendoim

- 1 Colher (sopa) bem cheia de pasta de caril amarelo

- 1 Colher (chá) de canela moída

- 1 Colher (chá) de cardamomo moído (gengibre pode substituir)

- Sumo de 1 lima.

- 1 Pitada de açúcar (eu prefiro um pouco de mel)

 – Sal e pimenta moída na altura

 – Folhas de erva-cidreira q.b.



Colocar os cubos de frango com o leite de coco, as sementes de coentro moídas e a manteiga de amendoim num tacho.
Levar ao lume e cozinhar em lume brando por (+/-) 40 minutos, mexendo de vez em quando.
Retirar os cubos de frango do tacho e reservar.

Juntar a pasta de caril, assim como a canela e o cardamomo ou o gengibre. Envolver muito bem.

Deixar fervilhar em lume médio/baixo até o molho reduzir para metade e ficar com aspecto cremoso.

Regar com o sumo de limão e polvilhar com a pitada de açúcar (ou o mel).

Rectificar os temperos.

Colocar novamente os cubos de frango no tacho e deixar aquecer em lume muito brando.

Depois é só colocar numa travessa e decorar com as folhas de erva-cidreira.

Servir de seguida, com arroz jasmim ou basmati.

Um segredo, eu gosto com batatas fritas!

quarta-feira, 13 de março de 2013

Desabafos...

Ora, apesar de andar completamente desaparecida, achei por bem no intervalo do corre-corre, das birras do "piqueno", do trabalho em casa e fora dela, dar cá um salto para devidamente agradecer à nossa amiga Sónia da Veiga a sua preciosa contribuição com mais duas maravilhosas pessoas para tomarem conta da minha/nossa cozinha na minha ausência: O Manuel e a Mariana! Não pensem que não vos tenho acompanhado, não vos tenho lido com carinho por demonstrarem a genica e garra que me anda a faltar nos últimos tempos. Perdoem a minha falta de presença, mas não me levem a mal e, tal como já disse, sintam-se em casa!
Tenho sofrido uma revolução, nos últimos tempos, com tudo de bom e de menos bom que essas alterações possam trazer. Resolvi nestes tempos conturbados "ser livre". Conceito este que aos poucos vou notando que várias colegas na minha condição estão a ter. O preço a pagarmos pelo privilégio de ter alguém que nos empregue é sermos completamente absorvidas pelos outros de forma a que deixamos de ter vida própria, deixamos de ter direito a sermos verdadeiramente mães, não sabemos se vamos estar disponíveis para nós, para os nossos filhos... deixamos de ter marido (não querendo isto dizer literalmente), deixamos de ter casa, pois "mudamo-nos" para o nosso local de trabalho e para cereja no topo do bolo, muitas vezes não somos levados a sério, não temos direito a ser monetáriamente compensados pelo nosso esforço, pelo nosso tempo... Sempre há algo mais que poderíamos ter feito, mesmo sendo contra os nossos princípios e as nossas opiniões! É assim que está a vida.
Daí que dei o grito final e resolvi andar pelos meus próprio passos, acertando e errando e esperando evoluir. Muitos sabem o difícil que é iniciar uma actividade própria e então nos tempos que correm!
São muitas as preocupações... há dias de felicidade, há dias de angústia e incerteza (muita incerteza), mas tento lembrar-me todos os dias o ser grata.... por mais um dia; por poder finalmente ir buscar o meu filho à escola e receber o seu abraço; por poder decidir pela minha consciência e não estar a agir de forma a agradar apenas aos outros...
É de menos um salário em casa, não sei por quanto tempo. O cinto apertou mais ainda do que já estava. Há sempre surpresas, gastos extra por algo que aconteceu... Há novas reformulações de poupar, de cortes nas depesas ( e como) mas naõ quero baixar os braços. O ânimo não tem sido muito para escrever, mas quero voltar, quero reerguer-me, quero encontrar novas formas de me expandir, como profissional, como mãe, mulher, como pessoa. Tenho planos, tenho sonhos, como toda a gente. Algo de tão grandioso como ser feliz e de que nunca nos falte o essencial!
Qualquer coisa, ando por aqui!
Sejam felizes!

quarta-feira, 6 de março de 2013

Obrigada Amigos! :-)

Ora, enquanto uma trata do seu novo negócio e a outra anda a dar entrevistas para o jornal e na TV sobre as Mães de Transição, a casa, nomeadamente a cozinha, vai sendo mantida em funcionamento pelo Manuel e pela Mariana.

Imagem retirada daqui

Obrigada amigos, pelas vossas constribuições (apesar de também andarem ocupados com os vossos projectos!) e pela vossa compreensão! :-)

A Equipa aumentou ainda mais! :-)

E como toda a cozinha que é cozinha está sempre cheia de gente, de conversa e de calor humano, eis que a equipa tem um novo membro: a Mariana.
E ela até já contribuiu com queques de aveia ainda antes de ser devidamente acolhida! ;-)

Sê muito bem-vinda! :-)

Imagem retirada daqui



terça-feira, 5 de março de 2013



“Queques de Aveia”

NOTA: Esta receita é do programa “Em forma na cozinha”. Fiz algumas alterações: elas juntam passas no fim (eu não gosto) e fazem bolachas em vez de queques (como dá muita massa, para fazer bolachas eu precisava de mais tabuleiros, porque as bolachas crescem para os lados e por isso é preciso dar algum espaço entre elas; mesmo assim, preciso de 2 tabuleiros para levar os queques ao forno). Disseram no programa, que como tem aveia, mantém a pessoa saciada durante mais tempo – é por isso um excelente snack para meio da manhã ou para o pequeno-almoço.

Ingredientes:
- 125g de margarina
- ¾ chávena de açúcar branco
- ¾ chávena de açúcar amarelo
- ¼ chávena de puré de maçã (no programa elas usaram puré comprado mas eu faço rapidamente em casa – para esta receita, basta 1 maçã pequena, descasco e ponho ao lume com água aquecida na chaleira eléctrica para ser mais rápido, no fim, esmago com um garfo e está feito – demora 5 min, 10 min no máximo)
- 2 chávenas de farinha
- 1c  chá fermento
- canela q.b. (eu ponho uma dose generosa, porque gosto bastante do sabor da canela)
- 1 ovo
- 1c café essência de baunilha
- ¼ chávena de leite
- 6c sopa de aveia
- 2/3 chávena de passas (para quem gostar)

Preparação:
Liga o forno a 180ºC.
Junta a margarina com os açúcares e o puré de maçã e bate com a batedeira durante 2 a 3 min, até ficr um cremezinho apetitoso e bonito.
Junta a farinha, o fermento e a canela – bate mais um pouco.
Junta o ovo (gema e clara), a baunilha e o leite – bate mais um pouco.
Envolve a aveia (e as passas, se quiseres) delicadamente.
Enche até meio formas de queques (não são das mais pequeninas, usa das maiores para os queques ficarem grandes e bonitos – no programa fizeram bolachas enormes). Vai ao forno, a 180ºC durante 17 a 20 min.
Eu polvilho com canela quando saem do forno.

Et voilá! Delicia-te.




quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Esparguete com Gambas e Espinafres









Este é um dos meus pratos favoritos.
É muito simples mas resulta mesmo.
Vou deixar a receita sem indicar quantidades, pois dependem dos gostos, do apetite e do número de pessoas que se vão sentar à mesa.
Convêm acompanhar com um bom vinho.
Eu, pessoalmente, gosto de uma garrafa “Quinta da Aveleda” bem gelado.





*Gambas
*Espinafres congelados
*Esparguete
*Cebola, alho, sal e piripiri


Cozer as gambas e reservar a água da cozedura que se deve passar pelo coador.

Entretanto deixe arrefecer as gambas juntando cubos de gelo para as manter rijas.

Num tacho fazer um refogado com cebola picada, alhos, louro, sal e piripiri a gosto.

Quando a cebola estiver transparente adicionar os espinafres. Dar umas voltas e de seguida juntar a água onde cozeram as gambas.

Deixar levantar fervura, adicionar a esparguete.

 Quando estiver quase cozido juntar as gambas já descascadas e sem cabeças.

Agora é só rectificar os temperos e saltar para a mesa antes que arrefeça.



terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

SOPA DE TOMATE À MODA DO ALENTEJO






Boa para estes dias frios.
É fácil de confeccionar e resulta bem.
Eu sou um adepto deste prato.

Uma sugestão. Quem gostar pode, no final da fervura,  
cozer um queijo fresco para acompanhar os ovos.
É diferente e vai muito bem!


Leva:

1 Kg de tomates maduros;
De 2 a 3 cebolas médias;
DE 4 a 6 dentes de alho
2 Folhas de louro;
1 Ramo de orégãos;
1 Pimento verde;
Poejos (facultativo);
Bacalhau ou ovos e
Sal (a gosto sem abusar)
Pão duro

Como se faz:

Pica-se o alho e cortam-se as cebolas às rodelas.
Cortar, também, o pimento às tiras.
Levar ao lume a refogar em bom azeite.

Quando as cebolas começarem a estar transparentes, junta-se o tomate cortado em pequenos pedaços, o louro, os orégãos e os poejos (facultativo).
Tempera-se de sal a gosto.

Deixa-se refogar e junta-se água suficiente.
Quando começar a levantar fervura, escalfasse o ovo (quem quiser e gostar pode juntar bacalhau).

Quando estiver cozido rectifica-se o sal.

Colocam-se as fatias do pão numa travessa e deita-se o caldo por cima

Vai à mesa com os ovos, ou o bacalhau, servidos à parte




Só resta desejar bom apetite!