Buddha Quotes

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Batatas Hiper-rápidas!

 
Ok, ok, a fotografia não favorece, o vapor que se libertava das batatas não ajudou e eu estava cheia de pressa de as comer.
Esta receita foi adaptada de algo que vi num programa do Jamie Oliver, mas que não apontei na altura porque se o tentasse fazer não apanhava nada de nada .
Assim sendo passo a explicar o que fiz com as batatas (usei batata doce, mas certamente também ficará bom com batata nova)
Parte um: Conhecem os saquinhos que vêm nas embalagens, e passo a publicidade, "Knorr sabores no forno? - ou similares."

Pois bem, a maioria das vezes uso o tempero sem o saco, mas não deito o saco fora!
Uma das utilizações que se pode fazer é usá-lo no microondas.
Parte dois: Lavar muito bem uma ou duas batatas doces - a quantidade que se queira, desde que caiba no saco. Eu gosto de comê-las com casca, tal como as batatas novas, acho que ficam com um paladar muito interessante. Dar um  ou dois golpes nas batatas com uma faca, colocá-las dentro do saco e verter lá para dentro um fio de azeite, sal, e o tempero que se queira (coloquei ainda noz moscada e uma pitada de pimentão doce).
Depois é só fechar bem o saco com um nó ou o atilho que vem com ele e levá-lo ao microondas na potência máxima até as batatas estarem cozidas - cozem no próprio vapor que se liberta e no azeite. No meu microondas levou cerca de 9 minutos. Fica muito saboroso e melhor que tudo, não dá trabalho nenhum!
 

Comida de Inverno!

Esta é certamente uma comida mais aconchegante para dias frios, e bem simples de se fazer. Continuam a ser usados os restos, couve cegada congelada -para não perder propriedades- e salsichas em promoção (seguindo o raciocínio do post anterior) descongeladas para a ocasião.



Ingredientes:
- Salsichas frescas
- Uma lata grande de feijão preto
- Cebolas e alhos
- Um tomate grande
- Uma folha de louro
- Uma Cenoura grande
- Couve cegada

Fazemos um bom refogado com a cebola, os alhos e a folha de louro. Quando a cebola estiver a ficar translúcida acrescenta-se o tomate e deixa-se apurar um pouco em lume brando. Juntei um caldo de carne por esta altura e a cenoura cortada em quartos. Juntei as salsichas frescas cortadas às rodelas e deixei apurar. Não pus muita água porque as próprias salsichas libertam alguma água. Quando está tudo quase cozinhado, junta-se o feijão preto já cozido ou de lata e a couve cegada (adicionar mais água se precisar). É só deixar cozer mais um pouco e servir.
Para engrossar o molho ainda juntei uma colher de sopa de farinha maizena.

E fica uma refeição saborosa para dias mais frios!

domingo, 13 de janeiro de 2013

Ano Novo Vida Nova

Ainda não tive oportunidade (leia-se disponibilidade mental) para vir aqui desejar o melhor que 2013 tiver para dar! Pois, conforme diz o título, vida nova no Novo Ano... literalmente!
Novos projectos estão sendo colocados em prática, o que levou a perda do emprego em que estava. Logo, há que apertar ainda mais o cinto enquanto o novo projecto não levanta voo....
Por todos os motivos e mais alguns, a poupança ganha ainda mais significado! E claro que a despensa pesa muito no bolso de todos nós... Vai daí que muita coisa está a ser colocada em prática.
 
- Uma delas for rever a potência contratada da EDP (que estava muito acima do que precisava). Conclui que já poupava bastante, pois se tinha uma grande potência e pagava o que pagava, realmente a tarifa bi-horária estava a ser bem utilizada. Espero agora ter uma factura ainda menor com a continuação do bi-horário e menor potência. A propósito, as tarifas bi-horárias não vão acabar. Se não me engano nem todas as empresas do mercado livre a têm (acho que só a Galp e a EDP), mas façam o favor de rectificar se estiver errada!
 
- Continuo a desligar o cilindro se não vou precisar de água para banhos. No inverno custa mais um pouquinho, principalmente se tiver que lavar louça com água fria, mas se racionar os gastos a água quente ainda me dura um bom bocado com o cilindro desligado.

- Revi o contrato com a operadora da Tv por cabo (confesso que por insistência com o marido de que não precisamos de tantos canais , nem sport tv - que se pode assistir pela net) e assim ficamos com uma factura mais baixa e menos um equipamento na sala (dissemos adeus à box)!
 
- Tento aproveitar todos os bocadinhos de comida no frigorífico/congelador. Restos podem servir para a refeição seguinte, congelar e reinventar uma refeição mais tarde....

- Fujo um pouco de ir às compras e tento utilizar o que tenho em casa. Inventar é a palavra de ordem.

- Faço mais refeições com vegetais e leguminosas, fujo mais do talho!

- Aproveito promoções por final do prazo de validade e congelo logo. Descongelo só se fôr usar mesmo naquela altura. Não sendo fanática dos cupões de desconto (leia-se não os uso se não utilizar/ precisar dos produtos em questão no momento) tento usá-los de acordo com as minhas necessidades.

- Tento usar menos o carro - esta é dificil, porque mesmo o novo projecto ainda não estando iniciado obriga-me a deslocações, mas tento minimizar o mais possível.

E com várias maneiras de ver se poupo, cá vai uma ideia de refeição de "coisas- que- tinha- em- casa-e-não-saí-para-comprar". E rendeu bastante!



Ingredientes:
-um copo de couscous
-couve cegada
-uma cenoura ralada
-uma maçã golden ralada
- alhos
-uma mão de sultanas
-uma mão de sementes de sésamo.

Num wok picar dois ou três dentes de alho e juntar azeite. Quando começar a levantar fervura juntar a couve, a cenoura, a maçã, as sultanas e as sementes de sésamo. Regar com um pouco de molho de soja e deixar saltear tudo em lume brando. Eu tapo o wok, para os legumes cozinharem um pouco mais rápido no vapor que se liberta dos legumes.
À parte cozer o couscous (uma medida de couscous para uma de água). Quando a água estiver a ferver, juntar um pouco de sal, o couscous e uma colher de chá de margarina e deixar em lume brando o couscous absorver a água. Esta operação leva apenas 3 a 4 minutos. Juntar o preparado anterior ao couscous e servir.
Bon appetit!